Em conteudo-patrocinado

Site facilita gestão e dispensa contador para pagar imposto

Companhia pretende mudar o modo como empresas lidam com o pagamento de impostos

O Brasil tem milhões de micro e pequenos empresários, e a maioria deles sofre com a burocracia para manter as contas em ordem e as obrigações fiscais regularizadas. É justamente esse mercado que um site criado em 2012 pretende reformular. “Há alguns anos, o internet banking era um bicho de sete cabeças, as pessoas preferiam ir na boca do caixa resolver seus problemas, mas isso mudou, e agora essa mesma mudança também vai chegar na contabilidade”, afirma Vitor Maradei, criador do site Contador Amigo.

Esse é o primeiro site de contabilidade online do Brasil, permitindo que leigos no assunto emitam as próprias guias de pagamento dos tributos e cumpram com todas as obrigações fiscais de modo independente, no estilo “faça você mesmo”. Focado em microempresários optantes pelo regime do Simples Nacional e sem funcionários registrados, o segredo por trás da plataforma é ofertar uma série de tutoriais e aplicativos para realizar os serviços básicos de um microempresário em um ambiente fácil de navegar. Também é disponibilizada uma ferramenta de consulta para checar a regularidade fiscal e corrigir eventuais pendências.

Por ser a pioneira do mercado, a plataforma teve um início conturbado. A repercussão do lançamento fez com que os conselhos regionais de contadores entrassem com diversas ações judiciais para impedir o funcionamento do site, sob a alegação de que a companhia exercia indevidamente a profissão. A decisão da Justiça, no entanto, foi de que o material é meramente informativo, concedendo a Maradei a vitória em primeira e segunda instância. “Foi nesse momento, quando nos vimos livres desses processos, que conseguimos alavancar o negócio”, explica.

Os processos judiciais representavam uma trava importante para o desenvolvimento do negócio, porque a insegurança jurídica impedia o acesso do empresário a financiamentos. Até então, os recursos eram provenientes basicamente da eLearning, uma agência criada por Maradei que desenvolvia cursos online e que, na época, era a sua atividade principal.

Crédito para crescer

Com o caminho livre para investir e aumentar a base de clientes, o empresário conseguiu recursos por meio da agência de desenvolvimento do Estado de São Paulo, a Desenvolve SP. Esse apoio foi fundamental, porque o crédito apresentava taxas muito mais baratas e prazos mais alongados do que nos grandes bancos, com o custo caindo de 3% ao mês para 1% ao mês. “As empresas inovadoras têm dificuldade de acessar crédito de verdade, que viabilizem o desenvolvimento do negócio, por isso essa linha foi importante para nós”, afirma o sócio fundador do Contador Amigo.

Esse financiamento possibilitou que a empresa preparasse novidades para o portal. Estão em desenvolvimento ferramentas de balanço patrimonial e aprimoramentos para permitir o acesso a empresas com funcionários registrados e do ramo de comércio, onde as exigências em termos de contabilidade são mais complexas.

A oferta de crédito por agências de fomento é uma das alternativas mais baratas para o empresário inovador se financiar no Brasil. Isso porque os grandes bancos costumam cobrar taxas de juros caras e a entrada de um investidor anjo ainda não é uma prática tão comum ou acessível no Brasil. Geralmente, o empresário não quer dividir o controle da companhia, ou então o investidor opta por aplicar em empresas mais maduras.

Mais do que apenas o desenvolvimento do negócio, Maradei conta que sem a linha de crédito da DesenvolveSP a empresa poderia ter enfrentado sérias dificuldades no ano de 2016, em meio à crise econômica. A forte fragilidade na economia do país afetou os clientes diretos da companhia. Até então, o ritmo de crescimento médio na empresa era de 8% ao mês, e naquele período a taxa despencou para 20% em todo o ano, ou seja, algo pouco acima de 1,5% ao mês.

Agora, o Contador Amigo conta com uma base de “alguns milhares de clientes”, ainda sem poder abrir em detalhes essa informação, e ganhou outras plataformas como concorrentes. No entanto, Maradei garante que é o único a oferecer um serviço totalmente online e que permite o conceito “faça você mesmo”, em que o próprio empresário gerencia suas obrigações.  

Futuro do contador

“O contador tem uma função mais nobre, no planejamento financeiro da empresa, o futuro da profissão será cada vez mais um papel cerebral do que na parte mecânica”, afirma Maradei, esclarecendo que não busca criar uma “guerra” com a classe de contadores. O empresário reconhece, inclusive, uma série de situações em que o auxílio de um contador é importante, como em empresas que precisem gerar balanços patrimoniais.

No regime do Simples, no entanto, não há a obrigatoriedade para a entrega de balanços. “Não tem cabimento ter um grupo de contadores para emitir declarações e guias de imposto, ele tem uma função mais nobre”, reforça Maradei. Além do mais, muitas vezes o microempresário não tem recursos suficientes para arcar com os serviços do contador todos os meses, ou então optar por se manter em uma situação de irregularidade por desconhecimento de como funciona o sistema. “A nossa proposta é desburocratizar o processo, mostrando um jeito fácil de fazer”, conclui.

 

Contato