Em conteudo-patrocinado / seguro-de-vida

Contratar seguro de vida ainda jovem pode economizar muito dinheiro

Jovens podem contratar o seguro de vida a preços mais baixos devido a condições de saúde, expectativa de vida, entre outros fatores

Os jovens brasileiros estão antenados aos temas financeiros e se preocupando com o seu futuro. Um dos exemplos está no aumento dos números de aplicações como o Tesouro Direto, um mercado de R$ 48 bilhões e que conta com 12,3% dos investidores cadastrados com idade de até 25 anos, segundo números divulgados pelo próprio Tesouro Nacional. Apenas cinco anos antes, essa porcentagem era quase a metade: 6,3%.

Por outro lado, se o jovem brasileiro está cuidando melhor de seus investimentos, muitos deles ainda não olham com cuidado para outro aspecto relevante do planejamento financeiro: o seguro de vida. Esse é um instrumento importante para quem está na fase de construção do patrimônio, e são justamente os jovens que em geral encontram as melhores condições para contratação.

Essa faixa etária consegue, na maioria dos casos, garantir preços mais baixos porque, quando a seguradora avalia um possível cliente por meio da análise de risco, dois fatores importantes para determinar o prêmio a ser pago na apólice são: a expectativa de vida e as condições de saúde.

Contratar um seguro quando jovem se tornou ainda mais interessante nos últimos anos. Isso porque o mercado de seguro de vida passou por importantes mudanças. Se antes os preços desses seguros eram reajustados todos os anos para acompanhar a exposição do risco do segurado com relação ao envelhecimento, podendo tornar os pagamentos insustentáveis no longo prazo, hoje em dia há muitas seguradoras que não praticam esse aumento de valores, atuando com o prêmio nivelado.

Essa tendência é mais comum nas seguradoras independentes, “congelando” o risco dos jovens por toda a vigência do seguro de vida individual. Como os seguros de vida são compromissos de longo prazo, com planos de pagamento que podem chegar a 30 anos, contratar essa proteção aos 20 anos pode ser muito vantajoso quando comparado a contratar o mesmo produto aos 40 anos, quando as parcelas são naturalmente maiores para se adequarem ao novo cenário de risco.

Seguro para usar em vida

A juventude é uma época em que os sonhos começam a ser estruturados. Intercâmbio, viagens, cursos e casa própria são alguns dos planos mais comuns. E, para realizar esses sonhos, o caminho passa por trabalho e investimentos adequados, mas, para garantir que tudo ocorra conforme o planejado, mesmo se algo no meio do caminho der errado, é preciso contar com alguma ferramenta de proteção.

Os seguros de vida individual são excelentes proteções para o futuro, tendo em vista que eles preservam a continuidade desses planos por meio de coberturas contra invalidez, doença grave ou até mesmo internação hospitalar.

Essas proteções são opcionais e, quanto mais jovem se contrata, menor o custo do prêmio do seguro. Por exemplo, um seguro contra doenças graves aos 30 anos pode custar quase dez vezes menos do que se contratado aos 50 anos.

Também tem ganhado cada vez mais popularidade o seguro de vida resgatável. Esse produto permite, após o período de carência, resgatar parte de uma reserva formada pela seguradora, que é constituída levando em consideração o tipo de produto contratado e a probabilidade de ocorrência de sinistro, de acordo com as características de cada segurado.

No entanto, quando este valor é resgatado, o seguro é cancelado, e o cliente perde a proteção contra os imprevistos que possam ocorrer. Além disso, vale lembrar que o valor de resgate não corresponde à devolução plena de todos os prêmios pagos.

Quer saber mais? Faça essa simulação oferecida pela Prudential e entenda como é o seu estilo de planejar o futuro.

 

Contato