Em imoveis / fundos-imobiliarios

O que gera lucro em fundos imobiliários no cenário atual, segundo diretor da CSHG Real Estate

Diretor da Credit Suisse Hedging-Griffo Real Estate é convidado do programa Fundos Imobiliários desta sexta-feira  

SÃO PAULO – O fundo HGRE11, é m dos maiores do mercado, de patrimônio de cerca de R$ 1 bilhão. Hoje, 30% dos imóveis estão vagos. Com previsão de que a economia estaria caminhando a uma boa direção, todavia, é provável que esses números, aparentemente alarmantes, fiquem no passado.

Bruno Laskowsky, diretor da CSHG Real Estate e com longa carreira na área, participa da administração de alguns dos maiores fundos imobiliários listados em bolsa, como o HGRE11 e o HGBS11. Ele foi convidado desta sexta-feira, 9 de junho, no programa Fundos Imobiliários, com apresentação do professor do InfoMoney Educação Arthur Vieira de Moraes.

Na ocasião, os especialistas analisaram o fundo em questão e falaram sobre outros fundos dentre os maiores do país, também administrados pela CSHG, como o HGBS11.

 “Quando você tem um shopping consolidado em uma situação que não é brilhante, você tem um ajuste no nível de consumo, e tende a concentrar o seu consumo naqueles locais de comércio que você conhece”, diz o especialista, que afirma ter apenas nomes consolidados em seus fundos – é uma concentração da compra em uma base mais consolidada, crava. Tendo o melhor mix, a retomada econômica atingirá positivamente os ativos que se encontram dentro do fundo.

É hora de crescer?

O mercado brasileiro oferece oportunidades múltiplas para o crescimento de fundos. “Não tenho dúvidas de que o Brasil poderia ter fundos de US$ 4 bi, a questão é o como”, diz Bruno. “Tem que ter ativo bom. A única coisa que a gente não pode errar como gestor é ter ativo ruim, e a gente vai crescer com qualidade”.  

Confira a conversa entre os especialistas no player acima. O programa vai ao ar semanalmente às 15h40, todas as sextas-feiras.  

Contato