Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa sustenta os 72 mil pontos entre “faxina ministerial” e resultado da Petrobras

Iniciativa era cobrada pelo "centrão" como gatilho para a aprovação do texto da Previdência

SÃO PAULO – Depois de marcar máxima em 72.838 pontos (+0,55%), o Ibovespa devolveu toda alta registrada e às 11h51 (horário de Brasília) desta terça-feira (14) registrava leve baixa de 0,07%, aos 72.427 pontos, com o mercado digerindo a decisão de Temer em iniciar a reforma ministerial, movimento precipitado pela demissão de Bruno Araújo (PSDB) do Ministério das Cidades na última segunda-feira (13), além do resultado abaixo do esperado pela Petrobras (PETR3; PETR4) no terceiro trimestre, que faz a estatal recuar cerca de 3%.

A saída do tucano deu a largada para que Temer antecipe a reforma ministerial, que era muito cobrada pelo "centrão" como moeda de troca pelo apoio ao presidente contra as duas denúncias apresentadas por Rodrigo Janot. Segundo o próprio Planalto, a “faxina ministerial” será concluída até meados de dezembro, lembrando que Temer pretendia fazer as mudanças apenas em abril do ano que vem, na composição com aliados que formarão alianças eleitorais com o PMDB.

De acordo com o Estadão, dono da quarta maior bancada da Câmara com 45 deputados, o PP quer emplacar o atual presidente da Caixa, Gilberto Occhi, para a desejada pasta das Cidades, que tem como grande atrativo (e capital político para as eleições) o programa "Minha Casa, Minha Vida". Além dessa fatia do bolo, a base aliada ainda quer a Secretaria de Governo do tucano Antônio Imbassahy, que mais de uma vez já revelou sua antipatia ao governo Temer, assim como a presidência do BNDES.

Com tudo esquematizado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que foi um dos grandes apoiadores da reforma ministerial, acredita que os trabalhos para a votação do texto da Previdência serão iniciados já na próxima segunda-feira (20). A missão agora de Temer é reunir 308 votos para aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) na Câmara, justamente o objetivo da reforma ministerial, pois o governo estava sem capital político após "gastar todas as balas" com as duas denúncias de Janot.

Mesmo que mais enxuta, a reforma da Previdência tem um peso muito grande para o futuro da economia, pois, além de sinalizar o compromisso do governo com as contas públicas e evitar um rebaixamento do rating, garante a manutenção da política de cortes da Selic, como sinalizado na ata da última reunião do Copom. Além disso, como já disse o deputado Arthur Maia (PPS-BA), relator da reforma Previdência: “do que estava perdido, a metade é um grande negócio. É melhor conseguir que a Previdência, em vez de economizar R$ 800 bilhões, economize R$ 400 bilhões, do que não economizar nada”

Em vista deste cenário, os juros futuros com vencimento em janeiro de 2019 registravam baixa de 4 pontos-base, cotados a 7,23%, enquanto os contratos de janeiro de 2021 recuavam 3 pontos, negociados a 9,38%. No mesmo momento, o dólar futuro com vencimento em dezembro registrava desvalorização de 0,08%, aos 3.284 pontos.

Petrobras apresenta resultado abaixo do esperado
A Petrobras encerrou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 266 milhões, revertendo assim o prejuízo de R$ 16,5 bilhões no mesmo período do ano passado. Contudo, o número ficou bastante abaixo dos R$ 3,56 bilhões de lucro que esperavam os analistas consultados pela Bloomberg.

Os diretores da companhia foram questionados mais de uma vez na coletiva realizada sobre o motivo para a linha final da companhia ficar tão abaixo do esperado. Segundo Ivan Monteiro, diretor de Relação com Investidores da estatal, foi uma combinação de itens não-recorrentes e uma perda de market share da empresa, que afetou suas margens.

A receita de vendas da companhia, por sua vez subiu de R$ 70,44 bilhões no terceiro trimestre de 2016 para atuais R$ 71,82 bilhões, ficando acima dos R$ 68,96 bilhões esperados pelo mercado. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ficou em R$ 19,22 milhões entre abril e junho deste ano.

Destaques do mercado
Do lado negativo, destaque para as ações da Petrobras, que reagem ao resultado abaixo do esperado pelo mercado no terceiro trimestre, enquanto os papéios da JBS (JBSS3) disparam justamente por apresentar números melhores do que as projeções dos analistas (veja mais aqui).

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 JBSS3 JBS ON 8,45 +5,63 -25,64 34,79M
 MULT3 MULTIPLAN ON N2 70,47 +2,62 +20,21 4,13M
 KROT3 KROTON ON 18,14 +2,20 +38,97 6,70M
 FIBR3 FIBRIA ON 51,25 +1,59 +64,65 9,01M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON ED 11,60 +1,22 +46,68 2,24M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 MRFG3 MARFRIG ON 6,64 -2,78 +0,45 1,27M
 PETR3 PETROBRAS ON 17,09 -2,23 +0,89 11,53M
 PETR4 PETROBRAS PN 16,35 -1,74 +9,95 142,27M
 RENT3 LOCALIZA ON 58,92 -1,14 +82,90 3,58M
 BRAP4 BRADESPAR PN 23,61 -1,01 +62,92 1,71M
* - Lote de mil a??es
1 - Em reais (K - Mil | M - Milh?o | B - Bilh?o)

Agenda econômica
Nos EUA serão divulgados os dados de inflação do PPI às 11h30. Além disso, dirigentes do Fed farão pronunciamentos sobre os rumos da economia, com destaque para o discurso de Janet Yellen, em evento marcado para a manhã de hoje. Falam ainda o presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, e o presidente do Bank of Japan, Haruhiko Kuroda.

A agenda doméstica traz como destaque os dados de vendas no varejo de setembro, que registraram avanço de 0,5% na comparação com agosto, enquanto os analistas de mercado esperavam avanço de 0,3%. Ainda existe possibilidade de divulgação da arrecadação federal referente ao mês de outubro.

Bolsas mundiais
As bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira refletindo os dados econômicos divulgados na China, revelando que a produção industrial e as vendas no varejo avançaram em ritmo mais fraco em outubro. Na comparação anual, o indicador da indústria avançou 6,2% no último mês, desacelerando ante crescimento de 6,6% observado em setembro. No varejo, houve aumento anual de 10% nas vendas de outubro, inferior ao avanço de 10,3% do mês anterior.

Já na Europa, as bolsas operam de lado enquanto mercado esperam possíveis sinais sobre política monetária dos principais bancos centrais do mundo e monitoram passos do pacote de corte de impostos de Donald Trump. No mercado de commodities, o petróleo é negociado pouco abaixo de US$ 57 após Opep elevar previsão de demanda para 2018.

Às 11h51, este era o desempenho dos principais índices:

*Dow Jones Futuro (EUA) -0,15%

*S&P 500 Futuro (EUA) -0,18%

*Nasdaq Futuro (EUA) -0,07%

*CAC-40 (França) -0,37%

*FTSE (Reino Unido) +0,06%

*DAX (Alemanha) -0,24% 

*Hang Seng (Hong Kong) -0,10% (fechado)

*Xangai (China) -0,52% (fechado)

*Nikkei (Japão) 0,00% (fechado)

*Petróleo WTI -0,39%, a US$ 56,54 o barril

*Petróleo brent -0,43%, a US$ 62,89 o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian +0,87%, a 464,50 iuanes

Michel Temer
(Valter Campanato/Agencia Brasil)

Contato