Em mercados / acoes-e-indices

ETF brasileiro dispara 2% após nova derrota no STF deixar Lula próximo da prisão

Índice que representa os papéis com maior peso no Ibovespa disparou após a conclusão do voto da ministra Rosa Weber

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O ETF (Exchange Traded Fund) EWZ iShares MSCI Brazil Capped, que representa os papéis com maior peso no Ibovespa, disparou no after market após o voto da ministra Rosa Weber contra o habeas corpus ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se mantendo com fortes ganhos até o encerramento dos negócios. Ela era considerada um voto-chave no STF (Supremo Tribunal Federal) e que provavelmente será decisivo para definir a prisão do petista.

No after market, o EWZ teve forte alta de 1,74%, após chegar a saltar 2,76% logo após a ministra votar. No pregão regular, o índice caiu 0,05%. O movimento indica que o Ibovespa pode abrir em alta no pregão de quinta-feira, principalmente após o STF negar o pedido do ex-presidente, o que deve levar a sua prisão nos próximos dias.

Considerada a grande incógnita do julgamento, a ministra Rosa Weber acompanhou o relator e votou contra a concessão do pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula. Negado o HC, Lula fica mais próximo do início do cumprimento da pena de 12 anos e 1 mês de prisão.

Em seu voto, Rosa Weber repetiu o argumento de Fachin de que não teria como considerar ilegal a decisão do STJ que negou um primeiro pedido do petista para evitar a prisão. “Não tenho como reputar ilegal, abusivo ou teratológico acórdão que forte nessa compreensão do STF, rejeita a ordem de HC, independentemente da minha posição pessoal quanto ao tema de fundo e ressalvado meu ponto de vista a respeito, ainda que plenário seja locus adequado para revisitar tal tema”, afirmou a ministra.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato