Em mercados

Os 3 motivos para as agência de rating elevarem o Brasil, segundo Meirelles

Meirelles se mostrou muito otimista com relação ao PIB, que segundo ele ficará acima da projeção de 1,9% feita pelo FMI, podendo superar os 3%

Henrique Meirelles
(Wilson Dias/Agência Brasil)

SÃO PAULO - Em Davos para participar do Fórum Econômico Mundial, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou à rede americana CNBC nesta terça-feira (23) que as agências de classificação têm três motivos para voltarem a elevar a nota de crédito do Brasil.

O primeiro, segundo Meirelles, é a aprovação da reforma da Previdência, que ele considera um "ponto crítico". O segundo é o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, o que, segundo o ministro já "está dado". Já o terceiro fator é o "resultado das eleições" presidenciais.

Com exceção do PIB, que tem mostrado recuperação, os dois outros pontos são de alto risco, que podem, inclusive levar ao corte do rating se seguirem no rumo "errado".

Além disso, Meirelles se mostrou ainda muito otimista com relação ao PIB, que segundo ele ficará ainda acima da projeção de 1,9% feita pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) recentemente. Para o ministro, é possível que a expansão da economia supere os 3% este ano.

"A expectativa é de crescimento de 3% este ano. O mercado ainda está em 2,8%, mas esse número está aumentando, agora foi para 2,85%... Esse número vai chegar a 3%. Pode subir, pode passar", previu ele em Davos.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato