Em mercados / politica

PT faz projeções caso Lula siga no páreo para 2018 e "elege" rival mais perigoso

O PT não acredita que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) consiga ultrapassar 15% dos votos, diz a coluna Painel, da Folha, mas está de olho em João Doria

SÃO PAULO - 2017 não está nem perto de acabar, mas os políticos já estão de olho nas eleições do final de 2018 e fazendo os cálculos para o próximo pleito, conforme ressalta a coluna Painel, da Folha de S. Paulo

De acordo com a coluna,  dirigentes do PSDB e do DEM admitem que as decisões mais estratégicas de suas legendas estão atreladas à possibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrer ou não às eleições. Pela avaliação deles, caso a condenação de Lula não seja confirmada em segunda instância até maio, as chances de a Justiça barrar sua candidatura depois são mínimas. Com ele no páreo, haverá forte pressão pelo rompimento da aliança com o presidente Michel Temer, especialmente entre parlamentares do Nordeste.

O futuro de Lula também debatido no PT. A legenda avalia que, caso Lula dispute, terá vaga garantida no segundo turno. Mas, se for barrado, precipitará um processo profundo de renovação na legenda. O PT também não acredita que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) consiga ultrapassar 15% dos votos. Por outro lado, sem citações na Lava Jato e com forte apelo conservador, o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB-SP) seria o rival mais perigoso.

 

Lula em Fortaleza
(Ricardo Stuckert/ Instituto Lula)

Contato