Em onde-investir

Renda fixa perdeu a atratividade? A menor inflação no Brasil em 19 anos mostra que não

O programa "Tesouro Direto com Ganhos Turbinados" vai ao ar todas as quintas-feiras, ao vivo, a partir das 14h

SÃO PAULO - O principal índice de preços do Brasil fechou 2017 com inflação acumulada de 2,95% em 2017. Foi a menor variação desde 1998 e também a primeira vez na história que o resultado ficou abaixo do piso da meta estabelecida pelo governo.

A notícia, positiva para a economia como um todo, é especialmente favorável para os investimentos em renda fixa, que parecem ter perdido atratividade por conta da taxa básica de juros do Brasil, a Selic, atualmente estar no menor patamar da história - 7% ao ano - e com expectativa de fechar o ano abaixo disso.

A explicação de como a inflação baixa beneficia seus investimentos em renda fixa será apresentada pelo professor do InfoMoney, Alan Ghani, no programa “Tesouro Direto com Ganhos Turbinados”, que será apresentado em instantes na InfoMoneyTV.

Ghani também responderá perguntas enviadas via Facebook e via e-mail (duvidaimtv@infomoney.com.br). Ele também explica mais sobre ganhos turbinados no Tesouro Direto em seu curso online.     

O programa “Tesouro Direto com Ganhos Turbinados” vai ao ar todas as quintas-feiras, ao vivo, a partir das 14h (horário de Brasília).

Para investir no Tesouro Direto, clique aqui e abra sua conta na XP

Veja os tipos de títulos do Tesouro Direto existentes atualmente:

Tesouro Prefixado (LTN): o investidor sabe exatamente quanto receberá no momento da compra, recebendo todo o valor após a data de vencimento, independente das mudanças de cenário para os investimentos. A rentabilidade pode ser diferente dependendo do prazo para aplicação – quanto mais longo, normalmente maior é a taxa.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F): o investidor também sabe exatamente quanto receberá no momento da compra, mas o fluxo de pagamento é diferente: nesse título público, o investidor recebe pagamentos a cada seis meses, que funcionam como uma antecipação da rentabilidade contratada.

Tesouro Selic (LFT): esse é um título público em que o rendimento é totalmente atrelado à taxa Selic, o que normalmente é indicado para investidores de perfil mais conservador. Essa taxa tem a sua meta definida pelo Banco Central, em um período próximo a cada 40 dias, e que hoje está em 8,25% ao ano. O pagamento é feito apenas após a data de vencimento.

Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal): a rentabilidade desse título público é dividida em duas partes: uma parcela prefixada e outra parcela atrelada ao IPCA, o índice oficial de inflação usado pelo Governo. Essa composição garante que o investidor sempre terá um retorno acima da inflação, e por isso costuma ser indicado para aplicações de longo prazo. O pagamento é feito apenas após a data de vencimento. 

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B): Semelhante ao IPCA+, a rentabilidade também é dividida entre uma taxa prefixada e a variação do IPCA, mas com a diferença de que o Tesouro Nacional realiza pagamentos semestrais, para quem busca complementar a renda com os títulos públicos.

Contato