#investir
Guias

Tornando-se um investidor: 3 conselhos de ouro

Você sempre achou que investimentos eram algo interessante, mas nunca soube como começar – sempre achou que ser investidor era coisa para ricos. Mas todo mundo começou um dia, e essa pode ser a sua hora.

Você possui algum dinheiro guardado no banco e resolveu que quer se tornar um investidor e começar a investi-lo, fazê-lo render e a trabalhar a seu favor. No entanto, ainda está com dúvidas sobre onde ou como começar. Isso é normal, afinal, os primeiros contatos com o mundo financeiro podem gerar alguma frustração em alguns, pois há muitos termos técnicos e detalhes, que podem desanimar o aprendizado. Mas calma! Não desista! O objetivo desse guia é ajudar com os primeiros passos, para que aqueles que já possuem dinheiro guardado, e que querem virar um investidor, possam fazê-lo com inteligência, clareza e segurança. Aqueles que conhecem esse mundo, sabem bem que investir é muito mais fácil do que parece. Assim, realizam seus sonhos financeiros mais rápido: obter o primeiro milhão, chegar à independência financeira ou adquirir um bem, como uma casa ou apartamento.

A vantagem de sair do perfil de poupador e se tornar um investidor é que investidores vão além, pois exploram as opções e quase sempre encontram alternativas mais rentáveis e, muitas vezes, tão seguras quanto, para fazer o dinheiro render.

Por exemplo, um investidor hoje com R$ 100 mil pode chegar, depois de 10 anos, a R$ 225 mil se deixar o dinheiro na poupança ou até R$ 400 mil se investir em títulos de renda fixa disponíveis atualmente. Por isso, é sempre bom conhecer as opções que o mercado possui, pois pode haver uma melhor que a que você tem hoje.

Com a inflação nos patamares atuais, de 9% ao ano, deixar o dinheiro parado na poupança é quase garantia de perder dinheiro.

Quer se tornar um bom investidor, além de um bom poupador? Comece com esses passos:

Passo 1 Tenha uma meta

O que quer fazer com o seu dinheiro investido e em quanto tempo? Conhecer sua definição de sucesso ajuda a focar no tipo de investimento mais adequado. Dica: tenha planos concretos e mensuráveis - nada como “quero ser rico”. Por mais ambiciosa que sua meta seja, como “juntar R$ 1 milhão”, um bom investidor tem um valor fechado ou um bem definido que queira comprar, como um determinado apartamento ou carro. É a única forma de saber se você está no caminho certo, pois você sabe onde quer chegar.

Lembre-se: metas de mais longo prazo têm maiores chances de serem atingidas e tendem a ser menos suscetíveis a eventos econômicos pontuais.

Passo 2 Defina uma estratégia

Como já diziam, para aqueles que não sabem para onde vão, qualquer caminho serve – mas esta estratégia não funciona bem quando o assunto é o seu dinheiro. Qual a importância e necessidade do seu dinheiro, já acumulado, no curto, médio e longo prazo? Como regra geral, necessidades de curto prazo não toleram riscos e a maioria dos assessores financeiros recomendam que o montante seja aplicado em investimentos livres de risco e com alta liquidez.

Você tem um horizonte de médio ou longo prazo para investir? Então pode explorar algumas opções com potenciais de ganho maior (ações, títulos pré-fixados, cambiais), mas deverá tolerar riscos maiores. Nossa recomendação: tenha bem claro seus limites aceitáveis de risco e busque a assessoria de um especialista, isso também lhe ajudará a se tornar um investidor cada vez melhor.

Você não quer gastar muito tempo com a gestão do seu patrimônio e ainda assim quer exposição a vários investimentos diferentes? Considere um fundo de investimento multimercado, que atua em várias frentes diferentes, ajudando a diminuir o risco. Há centenas deles disponíveis, principalmente nas corretoras.

Atenção: É comum deixarmos taxas de bancos e impostos passarem despercebidos, mas eles podem tomar a maior parte do rendimento que poderia ser seu. Um investidor descuidado, por exemplo, entrega mais da metade do seu rendimento real líquido (descontados inflação e impostos) para o banco, só com taxas!

Faça as contas e veja se a estratégia é mesmo a melhor para seus planos – se quiser ajuda, montamos um simulador para ajudar!

Passo 3 Torne-se um investidor mais inteligente

Quem nunca ouviu dizer que “poupança é pra quem não tem dinheiro” ou “investimentos sofisticados são para ricos”. Apague essas ideias! Hoje em dia, com a variedade de opções disponíveis (especialmente através de corretoras), com aplicações mínimas muito baixas, o que existem são investidores preguiçosos (ou simples poupadores) e investidores inteligentes!

Se não consigo entender, não invisto!
- Warren Buffet

Qual é a sua desculpa para não ser um investidor melhor? Tempo, falta de conhecimento ou de paciência?

Leia livros sobre o assunto, blogs, revistas, jornais, artigos, faça cursos online ou presenciais, converse com quem entende. É o seu dinheiro! Cuide bem dele, pois você sabe quanto trabalho teve para juntá-lo.

Dica: procure aprender com instituições e livros sérios e reconhecidos. Se estiver com receio, a BMF&BOVESPA, por exemplo, oferece muitos cursos presenciais e online, gratuitos e pagos, para ajudar a se tornar um investidor. As melhores corretoras também costumam oferecer esse tipo de recurso para os seus clientes – aproveite para aprender com quem entende!

Tornando-se um investidor

Agora que já traçou suas metas, pensou em possíveis estratégias e aprendeu mais sobre investimentos, o próximo passo é abrir sua conta em uma corretora. Com a vasta gama de produtos que elas oferecem, você consegue escolher o melhor investimento para seu perfil e necessidade, com a taxa e prazo mais adequados, contando com a ajuda de um especialista.